Voltar > Descubra 6 boas práticas para um bom fluxo de caixa em grandes empresas

Agilizar a gestão dos processos financeiros, entender o capital de giro e assimilar os aspectos gerenciais de seu negócio: esses são os sonhos de todo gestor. Mas será que é possível fazer tudo isso com apenas uma ferramenta?

Neste post, você vai ver 6 boas práticas para um bom fluxo de caixa em grandes empresas e como usufruir de vantagens que só ele pode trazer. Vamos lá?

1. Entenda como funciona o fluxo de caixa em grandes empresas

O entendimento do fluxo de caixa é o primeiro passo para o sucesso de sua companhia. Além do valor disponível em dinheiro, grandes empresas devem levar em consideração todas as contas correntes e, também, aquelas aplicações de curto prazo ou fácil resgate.

Tais valores são conhecidos como equivalentes de caixa e fazem parte das disponibilidades financeiras da organização. Outros elementos que compõem a ferramenta são as entradas, relacionadas com os recebimentos por comercialização de produtos e serviços.

Também devem ser computadas as saídas. Elas estão ligadas ao desembolso pelo pagamento de salários de funcionários, impostos, fornecedores, contas em geral e outras despesas da empresa. Comparando-se estes valores, será obtido o fluxo de caixa do período.

O fluxo de caixa em grandes organizações representa o valor disponível para que elas reinvistam, distribuam aos seus sócios ou, ainda, utilizem da maneira que for necessária no momento. Este capital é essencial para a manutenção das atividades rotineiras da companhia.

2. Implemente

Implementar o fluxo de caixa é muito mais do que apenas entender a ferramenta. A implementação exige preparação e um processo coordenado e de conscientização de vários departamentos da empresa.

Inicialmente, é preciso definir uma data de corte. A partir dela, deverão ser contabilizados todos os valores em caixa, bancos e aplicações. Para tanto, é necessário fazer cruzamentos diários entre os dados financeiros, extratos e outros relatórios da organização.

Também deverão ser conferidos os relatórios de contas a pagar e a receber, assim como as listagens de cheques pré-datados. Este processo é fundamental para que sejam alimentadas e conferidas todas as informações relativas ao fluxo de caixa — e para que as disponibilidades do período sejam apuradas.

3. Tome alguns cuidados

O fluxo de caixa em grandes empresas requer alguns cuidados. O primeiro deles está relacionado à tempestividade das informações, pois elas devem refletir a situação da companhia em tempo real. Para tanto, é preciso inserir na cultura organizacional a necessidade de atualização diária das informações.

Outra boa prática para o seu fluxo de caixa é o cuidado com os cheques pré-datados, sejam eles recebidos ou emitidos pela empresa. Tais valores devem fazer parte do fluxo de caixa quando forem efetivamente compensados.

Outro cuidado deverá ocorrer com o registro total das operações. Mesmo aqueles valores que pareçam insignificantes devem ser registrados, já que, no final do período, podem fazer a diferença na variação das disponibilidades da organização.

Os registros também precisam ser completos e utilizar documentos contábeis hábeis — como notas fiscais, contratos, cupons e outros que comprovem e detalhem as transações. Isso evita problemas administrativos e eventuais dúvidas.

4. Informatize

Informatizar o fluxo de caixa é outra grande sacada para corporações de grande porte. Isto deverá ser feito, preferencialmente, com o uso de softwares de gestão. Tais soluções integradas permitem a inserção em diferentes departamentos e o compartilhamento das informações financeiras.

Além de tornar o trabalho mais rápido, a informática deixa esse processo livre de erros e retrabalhos. Isso porque a padronização faz da inserção dos dados objetiva e evita dúvidas na hora da contabilização.

A informatização também ajuda no processo de gestão. O fluxo de caixa será detalhado, sendo que despesas e receitas poderão ser categorizadas por tipos. Assim, o tomador de decisões passará a conhecer a espécie, o volume e o comportamento dos gastos.

Este tipo de dado serve para diminuições, substituições e até mesmo cortes. As informações relativas ao faturamento são úteis para entender quem são os clientes, quais os principais produtos e serviços comercializados, se a empresa enfrenta sazonalidades, entre outros pontos.

5. Utilize soluções diferenciadas

Para controlar o fluxo de caixa da forma mais apropriada, companhias que possuem gastos com viagens e outros desembolsos relacionados a tal tipo de despesa podem adotar, em suas respectivas rotinas financeiras, o uso de cartões corporativos.

Além de serem soluções inteligentes e diferenciadas, que apresentam diversas vantagens para as organizações, os cartões facilitam a conferência junto ao fluxo de caixa. Dessa forma, todos os gastos verificados nessa área ficam compilados em um só documento — o que também faz a empresa ganhar em organização e tempo na hora de conferir seus relatórios.

Este tipo de solução também evita a perda de comprovantes ou, ainda, o esquecimento do registro deles. Isto pode comprometer as boas práticas de fluxo de caixa em grandes empresas, já que todos os registros devem ser devidamente reconhecidos e documentados.

6. Projete os resultados

Depois de entender e implementar o fluxo de caixa, é preciso projetar os resultados. Trata-se de uma forma de enxergar o futuro da organização. Com base em informações históricas, previsões e dados do mercado, são feitas projeções para a empresa.

Assim, é possível, por exemplo, criar reservas para investimentos ou aquisições necessárias. Caso a companhia verifique que passará por dificuldades, pode recorrer a empréstimos ou financiamentos, buscando as fontes de recursos mais vantajosas, com os melhores prazos e boas condições de pagamento.

Neste post, você viu as boas práticas do fluxo de caixa em grandes empresas. Elas passam pelo entendimento e pela implementação dessa ferramenta de modo adequado. É preciso, também, incluir a informatização e contar com o uso de soluções diferenciadas, que ajudem a controlar despesas e comprovantes de gastos.

Por fim, outra boa iniciativa é utilizar o fluxo de caixa projetado e pensar no futuro do negócio, já que é essencial fazer o planejamento tanto de curto quanto de longo prazo. As vantagens de seu uso vão desde a organização financeira até a racionalização ao utilizar os recursos financeiros, passando por um melhor gerenciamento de receitas e despesas da companhia.

E então? Gostou de saber mais sobre o fluxo de caixa em grandes empresas? Compartilhe este artigo nas redes sociais e ajude a levar informação para seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.